A importância das vacinas no período de gestação

132

Após a confirmação da gravidez, a gestante deve procurar uma unidade básica de saúde para iniciar o pré-natal. Este acompanhamento permite identificar e reduzir muitos problemas de saúde que pode afetar tanto à saúde da mãe quanto a do bebê. Uma das formas de se prevenir durante a gravidez é a vacinação, uma vez que o sistema imunológico da mãe baixa um pouco a guarda durante a gravidez e, quando um vírus ou bactéria ataca, ela pode adoecer.

Os principais objetivos da vacinação, na gestante, são a proteção da mulher grávida, livrando-a de doenças e complicações da gestação, e a proteção do feto, recém-nascido e/ou lactente, favorecendo-o com anticorpos para que possa resistir a infecções devido à baixa resistência do sistema imunológico.

Quais as principais vacinas para gestantes?

De acordo com a Sociedade Brasileira de Imunizações – SBIm –, são três as vacinas que devem ser tomadas, se a mulher não foi imunizada previamente, não sabe se já foi vacinada ou caso seja necessária uma dose de reforço: Tríplice bacteriana (dTpa-difteria, tétano e coqueluche), Influenza (gripe) e Hepatite B.

Hepatite B:  mulher que não foi vacinada antes de engravidar ou que não tenha tomado as três doses deve tomar. No total são três doses, com intervalo de um mês entre a primeira e a segunda e de seis meses entre a primeira e a terceira. Para Cintia Moura, ginecologista e obstetra do Hospital Esperança, é muito comum que as mulheres não lembre se tomou as três doses da vacina, por isso, é feito um exame chamado anti-HBs para saber se a mulher tem ou não imunidade contra a hepatite.

Tríplice bacteriana (dTpa – Difteria, Tétano e Coqueluche): A vacina deve ser tomada a partir da 20ª semana de gestação e repetida a cada gravidez. Ultimamente essa vacina está sendo bem procurada, uma vez que recentemente houve um surto de coqueluche. A Sociedade de Pediatria até recomendou que além da mãe, o pai, a babá e as pessoas que estão responsáveis pelo cuidado da criança também devem tomar essa vacina para ficar imune. Mesmo que a mãe tenha tomado a vacina na gestação anterior, é necessário tomar novamente a cada gestação, pontuou dra. Cinthia.

Gripe: A vacina contra a gripe protege contra os principais tipos de vírus influenza, que provocam a gripe. É a única vacina que pode ser tomada em qualquer período da gestação e deve ser aplicada mesmo que a mulher já tenha sido vacinada na gravidez anterior. É importante lembrar também o quanto a gripe é uma doença grave, pois a mulher grávida tem quatro vezes mais chance de desenvolver uma condição crítica, podendo até vir a óbito. Além disso, a gripe também pode aumentar em 30% o risco de nascimento prematuro do bebê.

Para receber as vacinas, a grávida não precisa de prescrição médica. Basta procurar uma das 36 mil salas de vacinação espalhadas pelo Brasil, apresentar a Caderneta da Gestante e se vacinar gratuitamente. É fundamental que a mãe tome as vacinas no prazo, para que haja tempo de criar e transmitir os anticorpos para o feto. Se acontecer de ela ter seu bebê prematuramente, este já terá recebido a proteção da mãe.