O que são as gorduras trans e por que elas foram proibidas

79

No mês de dezembro, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, por votação unânime, um novo conjunto de regras que visa banir o uso e o consumo de gorduras trans até 2023.

A nova norma será dividida em 3 etapas. A primeira será a limitação da gordura na produção industrial de óleos refinados. O índice de gordura trans nessa categoria de produtos será de, no máximo, 2%. Essa etapa tem um prazo de 18 meses de adaptação, e deverá ser totalmente aplicada até 1º de julho de 2021.

A data também marca o início da segunda etapa, mais rigorosa, que limita a 2% a presença de gorduras trans em todos os gêneros alimentícios. De acordo com nota publicada pela Anvisa, a medida deverá “ampliar a proteção à saúde, alcançando todos os produtos destinados à venda direta aos consumidores”.

A restrição da segunda fase será aplicada até 1º de janeiro de 2023 – período que marca o início da terceira fase e o banimento total do ingrediente para fins de consumo. A gordura trans ainda poderá ser usada para fins industriais, mas não como ingrediente final em receitas para o consumidor.

O que é a gordura trans?

A gordura trans, também conhecida como gordura vegetal hidrogenada, geralmente está presente nos alimentos industrializados e nas frituras. Este tipo de gordura é usada para eliminar odores desagradáveis e indesejáveis nos produtos finais, dar textura e aumentar o prazo de validade dos alimentos. Em 2010, a média de consumo de gorduras trans pelos brasileiros em alimentos industrializados girava em torno de 1,8% – valor considerado perigoso. 

Qual o prejuízo da gordura trans ao organismo?

A gordura trans pode causar diversos danos à saúde, podendo levar, inclusive, à morte. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a gordura trans foi responsável por 11,5% das mortes por doenças coronárias no Brasil, o equivalente a 18.576 óbitos em decorrência do consumo excessivo do óleo. A curto prazo, o dano mais comum é a obesidade. A longo prazo, aumenta o risco de doenças cardíacas, podendo levar à morte, aumenta as chances de doenças no fígado e no sistema nervoso central. De acordo com a Anvisa, há provas concretas de que o consumo de gordura trans acima de 1% do valor energético total dos alimentos aumenta o risco de doenças cardiovasculares

É possível evitar a gordura trans na hora de cozinhar?

Sim. Segundo os nutricionistas, é possível fazer pequenas substituições na hora de preparar as refeições para ter um prato mais saudável e ainda com sabor. Algumas dicas:

  • Substitua temperos industrializados, que são muito ricos em gordura em sal, por ervas frescas, como manjericão, salsa e orégano;
  • Não utilize molhos prontos para salada. Dê preferência a molhos caseiros feitos com iogurte, mel e mostarda;
  • Troque o biscoito de água e sal por biscoito caseiro de polvilho;
  • Evite fritar os alimentos; dê preferência para assados e cozidos